12 de jul de 2011

DESABAFO AO MEU CARO CORAÇÃO...


Imagem do meu arquivo pessoal - "Lembranças"

DESABAFO AO MEU CARO CORAÇÃO...

Tentei de tudo, meu caro. Distância. Silêncio. Ausências. E até falar demais. Escrevi cartas. Rimei letras em versos. Inventei de ser poetiza para dizer o tanto de amor que me cabia. Não tinha noção da intensidade do bem querer quando me apaixonei. Não sabia a extensão da palavra amor. Desconhecia sua força. Seu peso. Não soube medir, pois paixão é coisa mesmo desmedida. Descabida. 
Fiz muito. Nada adiantou. Nem meus poemas cantados ou as palavras choradas deram jeito. Confesso ter gastado noites. Desperdiçado manhãs. Exagerado nas horas na tentativa de tirar da minha vida este amor ainda aqui. Ele insiste em ficar! Como uma gripe que derruba e se demora no corpo, é este amor que não quer se curar de mim. Recusa-se a partir e me deixar. Não deseja sair das minhas horas. Das minhas histórias. De tudo o que sou e vivo.
Usei de graça e artimanha. Um pouco de melancolia. Da suavidade do sentir. Retirei o máximo das minhas entranhas toda a beleza do amor verdadeiro para esquecer aquele que é razão da minha alegria. Tentei de tudo! Mas nada, nada, nada... Nada adiantou! Quanto mais expelia as lembranças dele, mais viva eram as saudades. A cada dia. A cada data marcante eu o tinha e tenho. 
Ah, meu caro coração, então me ensina! Com quantas batidas em meu peito poderei esquecê-lo? Não há um só dia que dele me esqueça, pois um amor verdadeiro assim, não me sai hora sequer da cabeça...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ