27 de fev de 2015

É QUEM AGRADA O LEITOR!







No universo literário há escritas para todo gosto. Para os apreciadores da leitura que independe se curtos ou extensos os textos e para os exigentes que prezam a perfeição nas letras e nas linhas. Há uma vasta opção para quem gosta de ler e cada um escolhe o que melhor combina com as suas preferências. Textos prolixos, textos curtos. De humor ao terror, passando pelo romance, de tudo se encontra! No fundo o que agrada o leitor não é o tipo de texto ou temas dos textos ou dos livros. O que agrada o leitor não é o que, na verdade é quem... Esse quem é o autor, porque quando se aprecia muito um autor, ele pode escrever uma bíblia literária que o leitor será capaz de devorá-lo em poucas horas. É isso que agrada o leitor, um grande autor que torne a leitura um prazer imenso com sabor de quero mais quando chega o fim da linha ou da página.

Djanira Luz

9 de out de 2014

OBSERVÂNCIAS...

Nem todo silêncio é tristeza. 
Nem todo sorriso é alegria e 
nem toda solidão é falta de companhia...

Djanira Luz

2 de out de 2014

MAU HUMOR DO LADO DE FORA!

Uma manhã, observando os pássaros no quintal, de repente me deparei com uma imagem interessante. A natureza, com a ajuda das formiguinhas, esculpira no tronco do jasmim manga uma imagem semelhante à uma cara zangada. Achei graça daquela cara feia me olhando e pensei: - Aqui nesta casa  o mau humor fica do lado de fora -, fazendo alusão à imagem formada no tronco da árvore. Depois eu pensei que era interessante deixar de fato o mau humor do lado de fora da casa, da empresa, da escola, do colégio, da faculdade, do hospital, de todos estabelecimentos, enfim. Deixar de fora da vida o que não for agradável para oferecer ao nosso próximo e para nós mesmos. Abrir as portas onde for entrar e limpar o espírito de tudo de ruim e entrar sorrindo, despertando e contagiando alegria em todos que estiverem no ambiente. Eu imprimi a imagem abaixo e fixei na porta da casa Eu imprimi a fotografia do tronco de cara feia e fixei na porta da casa com os dizeres: Nesta casa o mau humor fica do lado de fora. Entre sorrindo. É uma ideia. A intenção é que seja um ideal! .  (Djanira Luz)

1 de out de 2014

EVENTOS, COISAS, SENTIMENTOS...


As pedras que rolam da montanha em dias de tromba de água. Alguém que recebe uma notícia ruim. Veículo que perde o freio. Quem se separa do seu grande amor. Descobrir-se vítima de traição. Avião sem rota. Folhas ao vento. A consciência de se ter doença incurável. Pipa cortada. Trem descarrilado. A morte de um filho. Barco à deriva. Guerras, conflitos, a crescente violência. A falta de expectativa em dias de paz e alegria. Quem sofre uma grande desilusão. A solidão do órfão. Dependência das drogas. O futuro do país depois das eleições... Todos esses eventos deixam vidas e coisas sem rumo. Desestabilizam pensamentos, destinos, amanhãs. Sem rumo fica também o coração apaixonado. Inebriado de amor, o pensamento de quem ama viaja desnorteado por um universo de sonhos onde são acessíveis todas as impossibilidades. A paixão nos deixa mesmo sem rumo! É a única vez que ficar sem rumo nos faz bem. Muito bem!

Djanira Luz

29 de set de 2014

MPERFEIÇÕES EVIDENTES...



IMPERFEIÇÕES EVIDENTES... 

Não sei de onde, nem quem começou o desafio de se postar foto sem maquiagem. Quando se é jovem, tudo fica bem e até as imperfeições são aceitáveis. Já quando se vai beirando à meia idade, nada se perdoa em questão de defeito. Evidenciam as marcas, as rugas, as pintas, a flacidez, tudo! Para não quebrar a brincadeira e ser tachada como estraga prazeres, lá fui eu de cara lavada e com a coragem nem tão à vontade assim postar a foto do tão impertinente desafio. Valeu a experiência! No entanto, o que gostaria mesmo de ver era a cara limpa dos políticos na hora da propaganda eleitoral! Ah, como seria digno se assumissem seus erros, suas fraudes, todos os seus golpes baixos e as suas atitudes indigestas. Mas, não! O que tenho visto é muita cara lavada na hipocrisia. É muita cara de pau no horário eleitoral! 

Djanira Luz

28 de set de 2014

AMOR SEMPRE PRESENTE...

AMOR SEMPRE PRESENTE...

- Lembrou-se de mim nas ausências do inverno? Quis saber a Rosa que acabara de desabrochar logo nas primeiras horas da primavera.

- Não.

Podia-se ver o desapontamento na expressão sofrida da flor. Visivelmente abatida ficara com a aparente indiferença do Beija-flor.

Antes que orvalhos de tristeza rolassem das pétalas da Rosa, o Beija-flor prosseguiu:

- Só lembra quem se esquece. Quem precisa de motivo ou ocasião para recordar o que é especial é que de vez em quando se lembra. Eu nunca me esqueci de você em momento algum. Você esteve presente em todo tempo no meu coração e pensamento. Em tudo o que via e sentia, você estava comigo. Sempre. Por isso quando me perguntou se me lembrei de você quando esteve longe, respondi que não. Porque sempre tive a impressão que estava ao meu lado. O amor faz isso, nos dá a sensação da presença amada sempre perto. Por isso nunca lembrei porque você nunca esteve ausente de mim...

A Rosa enrubesceu. Ela que já era de cor vermelha, avermelhou ainda mais de alegria, de paixão, de tanto amor!

Sim! Estava certo o Beija-flor. Quando se ama, sem necessidade de lembranças, pois a presença do ser amado se sente e se vive a cada respiro e nos batimentos do coração.
Djanira Luz

19 de set de 2014

BANHO DE PAIXÃO...

Ao luar,
puro charme da paixão
a rosa a se banhar...




Djanira Luz

SENDO FLOR...


Hoje eu me vesti de flor e distribuí pétalas de sorrisos para quem andava triste e desanimado. Com meu aroma suave inebriei de confiança quem já havia perdido a coragem de lutar por seus sonhos. Deixei tantos desiludidos perfumados com possibilidades de surpresas agradáveis! E com a alegria das minhas cores pintei a esperança nos que tinham desistido em acreditar que algo bom sempre surge nos amanhãs. Eu me fiz flor e vi brotarem flores e frutos nos corações e nas almas sem paz e sem entusiasmo. E assim eu vou. Florindo e reflorindo a cada estação porque ser flor é coisa de alma que se preocupa com as tantas outras vidas despetaladas.

Djanira Luz

AMAR INSANO

Só os loucos amam porque amar é algo mesmo insano...







(Djanira Luz)

16 de ago de 2014

SÓ APRENDE SER HOMEM SENDO UM...

Só se aprende ser homem sendo um. Foi nisto que me firmei quando o filho saiu cedo. Quase lhe pedi que deixasse o curso de Aprendiz para mais tarde. O coração temia pela carga horária, pelo suprimento do almoço. Filhos são tão frágeis aos olhos da mãe, mas ele precisava ir. Foi escolha dele e um dedo meu nas suas opções pode interromper um futuro de sonhos que ele espera ter. E quem sou eu para podar suas asas que começam a levantar voo! Sou mais de lhe levar ao precipício e dizer: Você consegue, vai filho, voa alto! Mas não foi sempre assim este meu desprendimento... Andei colocando-o sob a proteção de uma redoma que, para mim, era carinho, no entanto, vendo com a frieza da realidade, eu estava freando possibilidades. Sim, superproteção faz mais estragos que supunha... E reconheço culpa de alguns de seus fracassos. Mas eu tenho um álibi! Quantas vezes ele adiou fazer as lições dizendo-se indisposto ou com uma dor de cabeça para logo surgir na minha mente a lembrança do seu rostinho lindo aos dois anos de idade cheio de hematomas, consequência do espancamento dos sequestradores. O tempo foi passando e eu com cuidados excessivos, com desculpas para lhe atender as vontades e caprichos. Em 2010 não poderia ter acontecido fato pior que o diagnóstico da Síndrome de Guillan-Barré! Deus! Já não levaram os nossos bens materiais, quer levar meu tesouro? Deus sabia que seria demais para o meu coração e o milagre veio com a cura sem explicação médica. E novamente meu coração açucarado de piedade passava as mãos na preguiça, nas manhas do menino... Imaginei que já estava bom de provações. Deus, não. Ele não aliviou em nada. Provei de toda dor possível e inimaginável. Em 2011 veio a chuva forte, a enchente derrubando casa, levando bens, desfazendo sonhos, abalando a esperança... Do alto do meu sofrimento parecia ouvir Deus a me dizer: "Pensou que ser mãe seria algo fácil? *Sabe de nada, inocente*! Ser mãe é rasgar-se por inteiro. É um remendar de coração a cada fase da vida. É reconstruir-se das quedas, dos fracassos. É engolir choro. É se mostrar muralha quando se é sapê. É carregar nas costas o mundo com os pés feridos das lutas diárias. Acima de tudo, porém, é ter a recompensa grandiosa do amor sem medidas de um filho seu," É sim, Deus sempre tem as palavras sob medida para cada criatura sua. Eu sei que meu filho poderia estar melhor no colégio e mais responsável se eu não tivesse sido tão compassiva, acontece que a compaixão cega... Quando imaginava estar lhe fazendo o bem, na verdade o prejudicava Apesar de ter lhe poupado e até impedido de crescer e amadurecer, senti muito orgulho e alegria quando agradeci pelas aulas do professor particular, ele me disse que meus filhos "são pessoas de bem, são bem educadas". Então percebi que não errei tanto, nem fui uma mãe tão má assim. As notas, meu filho recupera. Se perder o ano, no próximo faz outra vez. Agora ética, educação, caráter não tem jeito de mudar se não foi moldado no berço, nos braços, nos abraços, nos beijos, nos carinhos, nos exemplos, também nas lágrimas. Meu filho foi fazer o curso. Vai aprender ser homem sendo um. Vida corrida, coisa de gente que está crescendo. Sai do colégio, voa para o curso, perde o almoço, faz um lanche... Ele aprende a ser homem e eu estou aprendendo a deixá-lo crescer e a caminhar com as suas próprias idéias...(Djanira Luz)
Imagem ilustrativa - Crédito fotojornalista Severino Silva