20 de jul de 2009

ARREMESSANDO PALAVRAS-SEMENTES...



ARREMESSANDO PALAVRAS-SEMENTES...


Gostei mesmo da palestra sobre a Permacultura, que significa “cultura permanente”, onde são usados recursos da natureza sem prejudicá-la. Não há danos porque inclui nesse projeto, uma disposição parecida com a que oferece a própria natureza.

Nessa linha, segue uma nova revolução para o meio ambiente o SEEED BALL que consiste em envolver sementes de diferentes tipos em uma bola de seis centímetros de diâmetros de terra compactada para depois lançá-la em terrenos desmatados ou desérticos que possibilite o desenvolvimento de novas vidas por meio dessa revolução no reflorestamento.

Esse método antigo foi re-introduzido por Masanobu Fukuoka é conhecido como “agricultura natural ou Método Fukuoka.

Hoje é dia do Amigo... Então meu espírito nesse clima fraternal com desejo de melhorar o mundo, de ser algo de bom e belo para o outro, imaginou algo diferente... Ao invés da semente arbórea proposta pelo método Fukuoka, lançar ao mundo sementes de Amor. Arremessar palavras-sementes tão poderosamente suaves que seriam capazes de florescer amor nos corações mais duros, mais desérticos, mais desacreditados na bondade humana...

E os corações em que as sementes florescessem, fossem lançando novas sementes para outros corações solitários, aos corações endurecidos pela dor ou pelas dificuldades da vida, aos corações amargurados que nunca souberam amar ou aqueles que jamais se abriram para o amor...

Bom seria ter esse dom de mudar o mundo com apenas o pensamento e o desejo de que tudo seja de paz, alegrias, curas, realizações. E que ninguém desconfiasse desse amor gratuito... Quando se oferece amor e carinho, muitos se fecham ou se afastam crendo que quem oferece quer algo em troca... Quem ama dá sem esperar recompensas ou pagamento ou favores. Quem ama doa de si e se dando, fica mais forte, mais feliz, mais rico desse amor desmedido!

Se não puder lançar muitas palavras-sementes de amor, sopre ao vento, ao leu, duas ou três sementinhas que seja... Tenha convicção que você, além de fazer sua parte, estará transformando a vida de uma ou mais pessoas, com certeza!

Pelas minhas mãos, pelos meus dedos, saem palavras-sementes de amor do meu coração e lanço ao mundo inteiro pelas ondas da internet e desejo mesmo que um dia, uma pessoa ao menos sinta a sinceridade e amor das minhas palavras e que essas palavras de amor fraternal, de paz, possam mudar ou melhorar corações sofridos ou solitários.

Vai palavra-semente de amor, pousa em cada coração e brote, cresça onde o deserto se fez morada...





As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!




Djanira Luz

A ÉTICA NÃO DEIXA FECHARMOS OS OLHOS...


As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!



A ÉTICA NÃO DEIXA FECHARMOS OS OLHOS...

Sempre que me recordo desse fato fico emocionada e orgulhosa pela honradez. Penso que ter um pouco de ambição ajuda-nos a conquistar nossos sonhos. Mas, jamais devemos deixar que a ambição seja maior do que a nossa ética...

Quando surgiu a vaga de chefe do almoxarifado, a direção do hospital não pensou noutro nome para prenchê-la. À princípio, José*ficou muito feliz com a indicação. Entretanto, numa conversa sigilosa com o diretor, ciente dos atos ilícitos do qual deveria tomar parte, ficou decepcionado. Ele teria que burlar os gastos dos remédios fornecendo uma lista falsa com superfaturamento para receber verbas acima do devido, cuja quantia acima do valor real, seria distribuída entre as pessoas envolvidas no esquema, incluindo ele.

José não acreditava que ouvia aquela proposta indecorosa!
Logo ele que era exemplo de honestidade foi escolhido para aquele vaga. José sabia que por debaixo dos panos alguma fraude acontecia, porém, não imaginava a proporção! Com agudez, pediu ao diretor um dia para estudar a nova proposta e que no dia seguinte daria a resposta.

Sobre a mesa do diretor, como prometido, havia uma carta contendo a resposta do José. Ao ler, o diretor ficou com os olhos arregalados pelo teor que dizia:

“-
Senhor diretor, ao contrário do que pensa, não fiquei honrado, mas ofendido com a indicação. Louvo em informar de não me achar apto para preencher a vaga, pois não fiz e não pretendo fazer parte de nenhum ato ilícito aqui neste nem em qualquer outro emprego. Sabia de algumas fraudes do hospital, nunca imaginei a esse ponto. Não sou do tipo que faz vista grossa, ainda que para benefício próprio. Tenho visto muita coisa, nem tudo me agrada... Mas, meus olhos continuam abertos! Portanto, junto a esta mensagem está meu pedido de demissão. O senhor vai precisar de outra pessoa que aceite trabalhar de olhos fechados! Obrigado. José Conrado.



*Nome fictício.





Djanira Luz