17 de mai de 2009

DESCARTAR PESSOAS INDESEJÁVEIS OU RECICLÁ-LAS?



As imagens desta página foram retiradas da busca Google. Caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada! *Imagem do alemão HA Schult – “Trash People”.



Prefiro exercer minha paciência suportando os defeitos da minha bem amada do que me expor a perdê-la.

O pensamento acima me acompanhou por longas datas, lembro-me bem dele, mas infelizmente, na época não atentei para o autor...

Lembro ainda que achava as palavras lindas embora não compreendesse ao certo seu significado. Bons tempos depois, quando me vi apaixonada, é que pude entender... Suportar para não perder um amor querido! Então eu gostei ainda mais delas, pois quem as escreveu devia amar numa intensidade capaz de tolerar falhas, defeitos por amor. Coisa rara uma disposição assim!

Hoje em dia muita coisa mudou, em relação ao amor também. Ninguém quer mais perder tempo e nem tem paciência para suportar nada do outro. É mais fácil e cômodo descartar um relacionamento e partir para uma nova investida a tentar tolerar possíveis falhas.

Já vi várias objetos descartáveis: copos, garrafas pets, pratinhos, talheres, latinhas, sacolas entre outras coisas. Mas, o que tem me chamado a atenção é que tenho visto pessoas descartando pessoas! Parece absurdo, coisa de louco, entretanto, é a dura realidade de um mundo moderno onde se pensa que se pode descartar de tudo nesta vida.

Se alguém não nos agrada, vamos descartá-la? Se falo algo que não é bem recebido ou digerido pelo outro, sou descartada... Se você não comungar dos mesmos pensamentos daquela pessoa intransigente, tome cuidado que poderá acabar na pilha de “lixo humano” descartável!

Fala-se tanto, prega-se tanto o amor, a solidariedade, fraternidade... Quer ver tudo isso ir pelo ralo do esgoto putrefato da mente humana? É só desagradar alguém e você perceberá que poucos são os que relevam, que perdoam e que trazem em si um amor bonito capaz de “suportar os defeitos” do outro para não perder o amigo, o colega de trabalho, o vizinho, o irmão, o seu amor...

O autor da frase acima em destaque era quem sabia das coisas. Estava anos luz da sua época e ao invés de se servir da facilidade do descartável, antes preferiu preservar a relação valendo-se da reciclagem do amor. Isso mesmo! Ele optou por reciclar a bem amada de forma a valorizar o que de bom havia nela e de tal maneira que seus adjetivos sobrepujaram algo que poderia ter sido motivo de um rompimento.

Amor é isso. Amor deve ser assim. Amor não descarta amigos, filhos, a pessoa amada. Amor quando verdadeiro, recicla!

Por isso que eu digo que muitas vezes devemos fazer com as pessoas, o que fazemos com o lixo:

REDUZIR - as críticas;
RECICLAR - o amor e...
REAPROVEITAR - o que de bom existe nela.

O que você acha disto, hein?rs







Djanira Luz