29 de nov de 2009

NOVO ENDEREÇO...


As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!


NOVO ENDEREÇO...



Saudade dos teus afagos diários. Deixaste-me bem acostumada com teus palavreados belos e hilários. Se não vens quero seguir ao teu encontro, pois sem ti não sorrio inteira, desabo metade em pranto...

Qual será o motivo dessa tua ausência silenciosa. Não vês, não sentes quanto estou ansiosa? Algo que disse ou fiz assim de um jeito tolo que o deixou infeliz? Ah, não leves a sério as minhas tolices, não te aborreças pelo o que te disse!

Vem e me envolve com tua voz grave que eu adoro e me põe daquele jeito carinhoso em teu colo. Tu sabes que agora os meus pensamentos são todos teus, será que não me compreendeste, onde foi que não entendeste?

Sente o calor em cada letra que componho, és muito mais do que pedi a Deus, és o meu melhor sonho. Desfaze todo o mal feito ou desfaleço. Saiba que meu amor já tem morada certa, o teu coração é meu novo endereço...


Djanira Luz

DESEJA VIDA PLENA FELIZ, BELA E SAUDÁVEL? TEMA A ISSO!


As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!



DESEJA VIDA PLENA FELIZ, BELA E SAUDÁVEL? TEMA A ISSO!


Durante anos ensinaram-me a não ter medos, pois “tudo aquilo que temesse me aconteceria”. Mas, era inevitável não ter medo, sobretudo quando criança. Do escuro, de insetos, de morrer, de palhaços, de assobiar durante a noite porque apareceria uma onça - nem lembro quem me disse um absurdo desses-, principalmente morando no Rio de Janeiro! Bem, a verdade é havia muitos motivos para medos na infância. Então, fatalmente era surpreendida por aquilo que mais ansiava.

Escuro era o mais provável de me ocorrer. Insetos idem. Palhaços, assobios e morte eram comuns de estarem próximos a mim. Crianças no circo, tudo a ver. Havia quem assobiasse à noite e morria sempre alguém conhecido. Sensato e bom seria ouvir os conselhos dos mais velhos e parar de ser tão medrosa.

Quando se cresce os temores mudam, para outros ou de tamanho. Da morte cresce pela consciência de que cada dia é de fato, menos tempo vivido. Do escuro, sinto medo se estiver na rua sozinha, pois a violência deixa mais sombrios meus pensamentos. E, em relação a palhaços, não me assustam mais, a menos que estejam em filmes de terror.Sobre assobiar a noite, não ligo mais. Embora o vício me faz dar umas espiadas pela janela. Não custa nada conferir. Afinal é saudável respeitar o folclore dos ancestrais!

Depois de certo tempo comecei a dar créditos sobre as consequências de se ter muitos medos. Volta e meia tem uma apagão desavisado. Só hoje aconteceram três vezes. Já sofri investidas de meliantes. Assobios pela noite não traz onça qualquer aqui. Em contrapartida, o que tem aparecido de gatos pela vizinha é incrível, chego a desejar que surja uma onça pintada perdida na selva de pedra no lugar de tantos felinos.

A partir de agora, aproveitando o fim do ano que logo partirá, visto que meus temores se realizam de uma forma ou de outra. Vou temer umas coisas diferentes de hoje em diante!

Vou temer amar demais e ser amada com um amor maior e mais bonito, jamais visto. Temerei ganhar sozinha na Mega Sena acumulada, vou ter medo de ser feliz e de fazer quem estiver ao meu lado igualmente feliz. Terei receio de ter saúde física e mental para dar e vender, vendo saudáveis também todos quanto amo. Temerei viver plenos dias de felicidade, em horas infinitas de risos soltos e leves. E sentirei medo de ter amigos leais, irmãos sem fronteiras, ciente de que a confiança depositada é mútua e cega.

Morrerei de medo: em testemunhar a paz brotando nos países das feias e inúteis guerras, em ver que abolida foi para sempre a palavra e o sentimento preconceito de todo o tipo, em todas a esferas humanas. Temerei constatar que políticos são pessoas dignas, honestas que servem e vivem para o bem estar do bom povo que o elegeu. Sim, temerei o fim dos descasos com a Natureza Humana e o desrespeito com a Vida do Planeta.

Isso! De agora em diante só temerei boas coisas. Sendo assim, algo bom, belo e grande de fato me ocorrerá. Medos, temores, inseguranças? Nada disso! Se o que temo me acontece, com esta lista e mais outros positivos pensamentos, serei feliz, bem feliz!

E você, leitor das minhas letras, quais serão seus temores, hein? Pense bem, viu?rs




Djanira Luz