30 de mai de 2009

O QUE VOCÊ NÃO FAZ POR AMOR...



O QUE VOCÊ NÃO FAZ POR AMOR...

- Matar.

Foi isso que completei quando minha amiga disse esta frase: “O que você não faz por amor, hein...”. Ela estava agradecida e admirada por eu ter prestado-lhe um grande favor. Grande na concepção dela; para mim, grande foi o prazer em ajudar. Ela sabe que por amor, sou capaz de grandes feitos.

Por amor, só não mato. Bem, a menos que quem amo não esteja em perigo... Aí já nem sei qual será a minha reação. Mas, não correndo riscos, faria muita coisa por amor. Coisas sensatas, óbvio. De acordo com minha natureza meticulosa, sou bem comedida até mesmo para cometer “loucuras”.

Acho que quando amamos muito e não há reciprocidade, o melhor a fazer é afastar-nos da pessoa amada. Muitas vezes esse amor torna insuportável que acabamos infernizando tanto a nossa vida como a do outro Não há pior coisa do que esmolar amor ou ser perseguido por conta de um amor que não desejamos.

Amar muito é a melhor coisa do mundo, desde que haja cumplicidade, reciprocidade, o querer no mesmo grau, na mesma intensidade. Caso contrário, é desgastante, é frustrante. Sempre que vejo alguém amando demais e seu amor já tem outro, me vem à mente a sabedoria do rei Salomão.

Quando aquelas duas mulheres foram ter com o rei para saber quem iria ficar de posse do bebê, depois de ouví-las, o rei Salomão ordenou a seus súditos que partissem a criança ao meio e entregasse metade para cada uma das mulheres. Acabando assim, com aquela discussão descabida. De imediato, uma das mulheres gritou:

- Páre, tenha piedade! Entregue a criança aquela mulher...

Salomão, com tamanha sabedoria, mandou que a criança fosse entregue à mulher que se importou com aquele ato cruel de partir ao meio um inocente. A mãe preferiu ver o filho vivo nos braços de outra mulher a vê-lo morto.

Então, penso que quem muita ama deve mesmo abrir mão do outro quando vê que não tem mais jeito. Deixar o outro partir livre é a maior prova de amor. Se não deu certo com um amor, outro mais belo poderá surgir. Basta fazer como aquela mensagem que diz: “não corra atrás das borboletas, cuida do jardim que elas vêm até você”.

Sim, quando sentir que está amando demais ou pensando que ama e não é amado por quem deseja, pare e siga o exemplo das flores que pela beleza e perfume conseguem atrair as lindas borboletas. Então, perfume-se de bons pensamentos, de boas intenções, seja doce e suave que boas coisas virão. Deixe o outro livre para que faça suas escolhas.

Você pode amar, mas não pode sufocar. Por amar demais, com suas atitudes rudes, impensadas, você mesmo mata o relacionamento. Ao invés de atrair com amor, doçura e sabedoria, como fizeram Salomão e a mulher. Ele, muito sábio. Ela, muito amou. Por amar muito, às vezes devemos nos afastar, porque temos que saber se o nosso amor tem sido algo de belo e bom também para o outro.

Na maioria das vezes sabemos que nosso amor não está sendo correspondido da maneira que desejávamos. O que acontece muitas vezes, é que não queremos aceitar isso. Isso é um grande perigo e incômodo. O relacionamento dá sinais se há reciprocidade. Esteja atento!

No mais, perfume-se, enfeite-se de boas e belas atitudes. Outro amor virá! Ah... Virá com certeza!

Lembre-se: Ame, mas não mate o seu amor...



Djanira Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ