17 de out de 2012

QUEM É VOCÊ ALÉM DO PORTÃO DA CASA?


                                                        Imagem arquivo pessoal.

QUEM É VOCÊ ALÉM DO PORTÃO DA CASA?

Paradoxal conviver! Há tempos juntos, ainda assim pouco sabem um do outro. Ilusão acreditar conhecer bem alguém apenas pelo fato de dividirem o mesmo teto, a cama, a intimidade.


Estranhos dentro de casa. Encabula-nos por ser de praxe o inverso. Em casa mostramos quem realmente somos. É o lugar que tiramos as vestes e as máscaras. Na rua, no local de trabalho é normal escondermos nossas dores e desafetos para não causarmos animosidades entre colegas. Mas em casa podemos ser o que somos de fatos. Por isso é estranho quando descobrimos alguém ser politicamente correto em seu lar e, além do portão, mostra-se outra pessoa, totalmente contrária da vista ao longo dos anos.

Não raras vezes vimos em noticiários, parentes e vizinhos surpresos com as atitudes incorretas de pessoas antes tidas como modelo de pai, de filho, de criatura! Um pai maravilhoso revela-se um empresário inescrupuloso. O filho educado, na verdade é um monstro. A mãe zelosa, uma devassa. 

Diante desses exemplos, sabe responder quem é você além do portão da sua casa? E será que conhece de fato seu filho, sua filha, seu companheiro ou companheira? Quem são eles além do limite dos muros da casa?  Vocês são o que parecem ser ou ocultam uma outra personalidade como os vilões de filmes?  Quem sabe heróis!? Não. Deixemos os mocinhos de fora, porque não lhes cabe entrar neste contexto.

Do lado de fora do portão uma nova personalidade pode surgir assustando-nos em descobrir uma pessoa estranha, totalmente avessa ao que tínhamos em mente. Pode ser decepcionante. Talvez doloroso. Importante é identificar motivos que levam pais e filhos trocarem a boa educação e caráter por atitudes contrárias e irreconhecíveis por quem convive com eles. Quais conflitos levam a diferentes comportamentos como esses? Será que menina e o menino querem ser aceitos no grupo, por isso têm atitudes incorretas? O pai por ambicionar êxito a qualquer preço nos negócios sujeita-se a práticas escusas? O vazio e a falta de carinho levam a mãe a uma busca clandestinamente afetiva? Quem realmente somos além dos muros da casa?


 Djanira Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ