2 de mar de 2010

AMOR QUE NÃO SE ACABA...



As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!




AMOR QUE NÃO SE ACABA...


Passado algum tempo, depois da aceitação do fim, Paula finalmente pôde voltar aos lugares onde vivera um bonito amor. Ainda sentia tristeza no coração, vinha a vontade de chorar, embora a maturidade inibia maiores demonstrações dos seus secretos sentimentos.

Tudo parecia diferente naquela cidade. Dava a impressão que faltava cor. O céu parecia menos azul. Um certo desconforto ao respirar. O ar não estava tão fresco. Havia pouco brilho no céu. O Sol não luzia com seu habitual esplendor. Até o mar agitava-se triste. Quando quebrou na praia, Paula teve a sensação de ouví-lo lamuriar. Nem a bebida a estava agradando. Incomodada, Paula, desabafou:

- Puxa, que coisa mais insípida! – Deixando a bebida de lado, Paula pagou a conta e seguiu caminhando tentando compreender o motivo de tudo estar descontente.

Alguns passos a frente, olhando ao redor, sua mente clareou-lhe as ideias. Percebeu não haver defeito nenhum. Nem com o ar, com o Sol, com o céu ou com a bebida.
Nada. Tudo estava do jeito que sempre esteve.

Para todo aquele misto de sensações estranhas, de tudo parecer desagradável, havia uma única explicação. Precisava daquilo que tornava tudo mais bonito, saboroso e colorido. Faltava-lhe tempero. O amor. O amor é o que melhora as cores e sabores da vida.

Naquela hora, a saudade arrebatadora do amado encheu de amor o coração de Paula. Era amor que não se acaba...


Djanira Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ