14 de dez de 2010

A MENINA-ÁRVORE-DE NATAL


















A imagem acima é um presente belíssimo que ganhei da preciosa e querida autora TÂNIA ALVARIZ, feito em sue atelier. Amo você, Tânia! Obrigada por enfeitar minha casa, minha vida e meu texto!rs


A MENINA-ÁRVORE-
DE NATAL (Uma crônica natalina)

Enquanto a mãe montava a tradicional árvore de Natal, a menina escrevia qualquer coisa em seu lindo caderno Jolie.  Entre troca de olhares e sorrisos, as duas pareciam felizes naquele momento de levar ainda mais o espírito natalino para casa com a decoração. Para cada enfeite colocado na árvore, a menina rapidamente anotava algo. Aquele gesto despertou a curiosidade da mãe. Pensou em parar um pouco e verificar o que tanto escrevia a pequena Clara.  Melhor, não.  É preciso respeitar os sagrados segredos das crianças. Cris sabia hora certa de desvendar o mistério e  que não havia segredo que durasse muito tempo, tanto era a confiança entre elas.
Pelas feições da filha, o conteúdo daquele caderninho era mesmo belo. Talvez um poema! Quem sabe uma cartinha para o Papai Noel? Poderia estar enumerando os nomes das visitas para ceia de Natal. Seria uma lista quilométrica de presente!? Não. Clarinha preferia viajar a ganhar montanhas de brinquedos.
Montada a árvore, cessaram também as anotações. Clara levantou-se do puff indo mostrar para Cris o que havia escrito.
- Olha, mamãe o que eu escrevi!
Sim, era uma lista. Uma lista linda! Uma relação onde continham atitudes e sentimentos nobres.  Puros. Louváveis. Fazia parte dela AMOR, PACIÊNCIA, TERNURA, PAZ, FÉ, ESPERANÇA, CONSOLO, GENEROSIDADE, COMPAIXÃO, MISERICÓRDIA, OTIMISMO, FRATERNIDADE, PARTILHA, BONDADE, PIEDADE, PERDÃO, ALEGRIA, TOLERÂNCIA. Todas as palavras que só em lermos suscitam na alma bons sentires.  Despertando-nos a alegria e a confiança de que podemos ser melhores a cada dia. Basta um gesto. O gesto simples da tentativa.
Clara continuou a falar com suavidade pueril, porém com sabedoria de gente grande:
- Mamãe, eu vou ser uma menina-árvore-de-Nata!
Antes que a mãe pudesse perguntar qualquer coisa, vendo interrogações no rosto da mãe por não lhe compreender, a menina explicou:
- Todas estas palavras, mamãe, são sementes que irão me enfeitar pela vida toda, como os enfeites que você coloca na nossa árvore. Enquanto sou pequena e pouco sei da vida, vou plantar no meu coração estas sementes todas que escrevi. Assim elas irão crescendo junto comigo e quando eu estiver grande como você, serei uma árvore bonita com sentimentos agradáveis a Deus. Quero ser uma árvore de Natal o ano inteiro para iluminar a vida das pessoas que passarem por mim. Quero que elas sintam esta alegria do Natal não só na noite de Natal, mas em todos os dias da minha vida. Quero partilhar sementes boas. Quero dar frutos de amor a quem precisar. Quero transmitir verdades bonitas com meu comportamento e minhas atitudes. Não é isso, mamãe, que você me ensina todos os dias?
A emoção encheu o coração, calou a voz e fez transbordar os olhos da mãe. Por alguns minutos, Cris ficou abraçada a filha em silêncio. Passava em sua mente aquela lista e tanto que daquelas atitudes e sentimentos ficaram de fora do seu coração. Quantas vezes perdera a paciência por futilidades. E no lugar da ternura, carinho havia agido com intolerância. Admirando a filha, acarinhando-lhe os cabelos macios e cheirosos, tomou-a em seus braços dizendo:
- Clarinha, meu amor, você me ensina todos os dias a ser melhor do que ontem. E sei que será uma árvore linda se começa hoje a cultivar seu coração com as melhores sementes. Sim! Frutifique e ilumine a vida com sua esperança e alegria! Seja Natal todos os dias!
 Imagem arquivo pessoal
A todos(as) leitores(as) queridos(as), meu mais nobre sentimento para vocês de SANTO NATAL E ABENÇOADO 2010!

Beijoquinhas.
Dja

HO, HO, HO!rs
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ