14 de fev de 2010

LUGAR NENHUM!



Fotos do meu arquivo pessoal - Mamãe Maria Quintanilha


LUGAR NENHUM!


Custei a entender. Criança na época em que fui criança era mais ingênua. Hoje criança que é ingênua é chamada de “lerda”. Muda a nomenclatura, no fim quer dizer a mesmíssima coisa. Pensando bem, com a globalização, com tanta modernidade, acho que nem existe mais criança "lerda". Algumas já até nascem com um GPS aclopado para não se perderem neste imenso planeta!

Hoje eu sei o por quê. Hoje sei onde não fica aquele lugar...

Mamãe sempre foi uma mulher bonita. Longos cabelos negros cacheados, pele clara e rosada. Típica menina da região serrana do Rio. Das montanhas, ar frio. Quando ela passava um o pó-de-arroz, batom, ficava dando jeito nas madeixas e usava um vestido mais bonito, eu perguntava:

- Mamãe, aonde você vai?

Mamãe sorria e respondia:

- Lugar nenhum...

Era só ouvir isso para eu choramingar e ficar implorando ao seu redor:

- Mãe, me leva... Eu quero ir também...

E vinha outro irmão que repetia a minha pergunta. Mamãe respondia do mesmo jeito adocicado de ser:

- Vou a lugar nenhum...

Aí, vinha a caçula e de novo a pergunta e mamãe respondia sem perder a paciência. Só que minha irmã caçula fazia manha, chorava. Um escândalo! Então, mamãe já rindo, explicava:

- Não vou a lugar nenhum! Não vou sair. Coloquei um vestido novo porque papai volta do trabalho hoje...

Alguns dias papai precisava ficar no trabalho, de plantão. E mamãe queria estar bonita para ele quando chegasse. Era isso.

Depois meus irmãos e eu entendemos que aquele lugar "não ficava" porque ele não existia. Era lugar nenhum!




Djanira Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ