31 de dez de 2009

QUERO COMER PERU DE NATAL NO ANO NOVO!


As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!




QUERO COMER PERU DE NATAL NO ANO NOVO!



- Quero comer peru de Natal no dia de Ano Novo! – Disse convicto.


- Meu bem, vamos comer pernil assado. No Natal comemos muito peru. E também dizem que se comermos animal que cisca para trás, nada dá certo no Novo Ano! É melhor não arriscar e comermos o pernil. – Tentou convencer.


Mas, o menino não queria saber de superstições. Queria peru e pronto! Naquela noite de trinta um de dezembro estava determinado a saborear um delicioso peru recheado como comera no Natal. Em protesto, ele rebateu as considerações da mãe:

- Eu não quero saber de azar, nem acredito nessas coisas, mãe! Quero comer peru de Natal!

A amiga da mãe intrometeu-se:

- Iiiiiihh, Rosa, convença-o a mudar de ideia, pois do contrário pode contar com um ano em que tudo vai dar para trás!

- Lena, sabe de uma coisa? Eu vou é fazer a vontade desse menino! Pior do que ter azar é morrer de remorso em não atender ao pedido dele. Ficar um ano, quiçá a vida toda ouvindo reclamação do filho pelo trauma de ter negado um simples pedido é que não vou. Além do mais, eu já cansei de comer lentilhas para aumentar números na minha conta bancária e aconteceu justo de aumentar o número de contas a pagar. Até a iluminação pública agora é por conta do povo. Vou comprar o peru sim! – Disse a mãe determinada.

- Você é quem sabe, Rosa! Depois não vai ficar chorando ano ruim... – Alertou amiga Lena.

- Nada... Vai dar tudo certo, fique tranquila! – A mãe pegou a bolsa e saiu para o supermercado.

Rosa escolheu o peru, verificou a data, a marca. Sentiu mais o peso do bolso do que do peru na hora de pagar. Poderia ter optado pelo Chester, pois o valor a ser pago daria para levar dois frangões não fosse a cisma que tinha com aquela ave “bombada”, ou seja melhorada geneticamente.

No dia seguinte, Rosa colocou o peru sobre a pia da cozinha, olhou para aquele bípede enorme e resolveu ter uma conversa franca com o peru antes de começar a prepará-lo:

- Escuta aqui “seu” Peru... Primeiro peço desculpas por comê-lo, entenda que é por sobrevivência da lei da selva de pedra e não por maldade ou vaidades. Tentei ser vegetariana, mas as plantinhas também são nossas irmãs, seres vivos e sendo assim, já que não parei de comer vegetais, não há motivos para não saborear algo tão saboroso como o senhor, entende? Pois bem!

A mãe sentiu-se um pouco ridícula ali diante da ave morta num monológo incomum.

“- Devo estar doida, falando com uma ave morta!” – Pensou . E continuou falando com o peru congelado:

- É o seguinte, seu Peru, antes de vir parar no céu da minha boca, vou pedir-lhe um favorzinho. Reza a lenda que se comermos o senhor na noite de trinta e um de dezembro, nossa vida desanda, dá tudo para trás no ano seguinte.

Então, peço para que ao invés de ciscar para trás meus projetos e toda minha sorte, cisca tudo o que for de ruim, de negativo da minha vida. Cisca bem ciscado e deixa para longe de mim, para trás em dois mil e nove tudo que foi ruim ou seria azar em dois mil e dez, ok? Então, está feito! Obrigada.


Rosa preparou o peru com todo carinho e temperos para o filho querido. Na hora da ceia, saboreou junto com o menino que estava satisfeito.

A amiga Lena, disse:

- Rosa, que coragem!

- Deixa de bobagem e prova, Lena! Azar ou sorte é tudo da nossa mente. Se você acredita que terá sorte, sorte terá. Se acredita no azar, ele será entregue na sua porta. – Rosa ria feliz.

Lena pensou:

“- Rosa tem razão! Nada pode determinar nossa felicidade se fizermos algo por ato de amor. Rosa quebrou uma tradição por amor ao filho.”

E Lena, foi saborear o peru que ciscou para trás todo azar e não a sorte daquela família!





Djanira Luz

2 comentários:

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ