5 de jun de 2009

ACHADOS E PERDIDOS DOS SENTIMENTOS...


As imagens desta página foram retiradas da busca Google, caso seja sua criação e não autorize postá-la, favor entrar em contato comigo que retirarei imediatamente. Obrigada!




ACHADOS E PERDIDOS DOS SENTIMENTOS...




“-Nunca vi perder as coisas desse jeito!” – Minha mãe sempre reclamou das perdas do meu pai. Até hoje ele vive perdendo chaves, carteiras, documentos, óculos e por aí vai.

Quando ainda morava lá com eles, eu era a “achadeira” oficial de papai, conforme ele me dominava. Meus irmãos e eu, toda vez que papai perdia algum objeto íamos atrás como fosse mesmo encontrar um tesouro perdido. Não havia recompensa, mas eu adorava encontrar e ficar me achando mais esperta e sortuda do que os meus irmãos.

Enquanto meus irmãos procuravam em lugares aleatoriamente, eu fazia o percurso inverso, ou seja, voltava aos lugares que meu pai havia estado e dali poder achar o objeto perdido da vez.

E dava certo! Eu encontrava o que fosse. Ainda me vejo com aquela cara de “mais esperta que você” que fazia para meus irmãos.

Muitas vezes meu pai nem perdia os objetos, como era distraído, ele esquecia em algum lugar, então era fácil para mim encontrá-los, pois sabia o lugar habitual deles.

Como estamos próximos aos Dia dos Namorados, pensei fazer analogia entre perdas de objetos com perdas sentimentais.

Quando perdemos um amor e não compreendemos o motivo que nos levou a perder um amor tão grande, bonito e sincero assim de repente, sem explicação. Teve fim e pronto, não houve o porém...

Se acaso isso vier acontecer, faça como eu fazia com os objetos perdidos. Para entender o motivo do rompimento, da perda é preciso apertar a tecla “rew” e voltar ao ponto exato que fez com que você perdesse o seu amor ou que seu amor perdeu você.

Só voltando ao momento da ruptura é que poderá compreender e tentar achar um jeito de resgatar o amor se ele lhe é caro, obviamente. Só tentamos encontrar aquilo que tem valor, do contrário a perda nem machuca, chegando a ser benéfica.

Caso a culpa da perda tenha sido sua, procure a pessoa amada e dialogue. Conversar é ótimo! Conversar esclarece, aproxima, resolve... Agora se o culpado do rompimento foi o seu amor, tente entender o motivo. Se por orgulho ele se foi, tente reconciliá-lo. Caso a separação tenha ocorrido por não haver mais a reciprocidade do amor, então, deixe-o onde está que o tempo fará com que você “ache” um amor melhor, certamente.

Há casos em que você acredita ter perdido um amor como meu pai e seus objetos... Na verdade o amor ficou esquecido, deixado de lado por algum momento. Nesse caso é preciso ter um novo olhar sobre a pessoa amada e dá-lhe o devido valor para que não venha perdê-la de fato.

Então, cuide do seu amor, regue com carinho e atenção. Não o deixe de lado, não ignore, não o abandone e não o despreze... Ame muito, regue de atenção e cuidados!

Agora, uma dica importantíssima... Se perder qualquer coisa é só me chamar, pois DJAcha! rsrs



Djanira Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUERIDO LEITOR, QUE VOCÊ SAIA MELHOR DO QUE CHEGOU AQUI! VOLTE SEMPRE QUE O TEMPO PERMIRTIR OU O CORAÇÃO DESEJAR...rs

;Djanira LUZ